quarta-feira, 14 de março de 2012

Um dia para a Poesia


Olá Pessoal!

Lembro-me que iniciei este blog apenas para colocar alguns versos que teimavam em sair de minha mente, sem maiores pretensões.
Ao reler alguns, ainda pergunto-me o que estaria sentindo ao escrever aquelas palavras? Pois muitas vezes os esqueço completamente.
Hoje, em homenagem à poesia, coloco aqui um dos primeiros poemas que, teimoso, retorna ao pensamento de vez em quando. Talvez por falar de um assunto ainda presente em minha vida: Mudança.

Vivo agora
O que não sei
Em verdade
Desabei
Por mudar
Desconcertei
Sem alma
Nem calma
O que me tornei?

Há muito
Ansiava
Há dias
Reclamava
Um fato novo
Uma mudança
Peito em esperança
Mente em viajança
Não imaginei

Ser tão forte
A sensação
Ser cruel
A solidão
Tanto
Que corta o coração
De alguém que não sabia
Se mudasse
Pra onde iria
Sabendo
Não ser solução

Agora
Sinto falta
Saudade
Em alta
Regressar
Não está na pauta
Só resta
Olhar pra frente
E ver
Que a vida da gente
Amanhã, certeza
Será diferente.

Virvinhas

Nenhum comentário:

Postar um comentário