quinta-feira, 18 de março de 2010

Apenas uma gota de água no mar...


Ontem li algo em um livro que me fez refletir por horas.
Na frase atribuída à Teresa de Calcutá, senti toda a pequenez dos meus esforços em fazer o bem.
Estava escrito assim: ¨O senhor não daria banho em um leproso nem por 1 milhão de dólares? Eu também não. Só por Amor se pode dar banho em um leproso¨.
Pensei e repensei se não seria eu também como esta pessoa a qual ela argumenta com tanta humildade.
Será que realmente estamos dispostos a fazer o bem pelo bem e sem olhar a quem?
Será que lá no fundo ainda temos total certeza de praticar uma caridade totalmente desinteressada?
Há várias passagens no desenrolar do texto que me fizeram refletir o quanto preciso ainda aprender sobre caridade. Não falo aqui de esmolas, de obrigações humanitárias, faxina no armário de roupas, enfim coisas válidas, mas como dito no referido texto ¨a verdadeira caridade começa após estas ações¨.
Eu também nunca havia pensado antes assim, porque acreditamos muitas vezes que estas coisas são a caridade e não o que vem depois delas...
Mas o que vem depois?
Coisas como: atenção, tempo, ouvidos dispostos a ouvir, compaixão, amizade, compromisso, aconchego, interesse verdadeiro, enfim algo tão mais difícil de doar do que qualquer quantia do salário. E como dizem na propaganda ¨coisas que não tem preço¨.
O que aquietou um pouco meu coração foi outra frase mencionada no livro, onde aprendi que só estou no começo da caminhada, de meus esforços em evoluir no bem e no amor. Dizia: ¨Aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota¨.
Então, depois de frases como estas, só resta-me refletir um pouco mais sobre como colocar em prática isto na vida diária, sair dos condicionamentos e espalhar minhas gotinhas por aí.
Indico para quem se interessar por este assunto o referido livro, que ainda estou lendo, mas já valeu muito a pena: ¨A Força Eterna do Amor¨, de Robson Pinheiro.
Espalhem hoje suas gotinhas!

Paz e Luz!

Virvinhas

quinta-feira, 4 de março de 2010

Bono, um amor incondicional!!



Bono é um cão de 10 anos
Tem casa de madeira, amarela, com vários panos
Saudável, um pouco grisalho e nós o amamos


Bono é um cão temperamental
Tem manias estranhas, fora do normal
Mas sabe fazer disso algo banal

Bono é um cão arteiro, bagunceiro,
Ninguém agüenta o seu cheiro
Nós adoramos, é maneiro!

Bono é um cão meio porcão
Gosta do seu cheiro e de banho não
Mas esse dia chega, é uma mega operação

Bono é um cão medroso, mas fogoso
Faz do pano um parceiro horroroso
Sempre mostra às visitas, esse vício embaraçoso

Bono é um cão viajado
Andou de avião, atravessou Estado
Mas toda vez que sai na rua fica empacado

Bono é um cão teimoso
Quase nunca obedece, é desastroso
Na hora da bronca, vira a cara, orgulhoso

Bono é um cão simpático
Roedor, por um osso é fanático
Sem osso rói qualquer coisa, feito lunático

Bono tem um olhar ¨pidão¨
Aquele que conquista a todos, derrete coração
Usa sempre isso na hora da confusão

Bono é um cão inocente
E é alegria da casa da gente
O único que nos ama incondicionalmente.

Bono é um cão de bem com a vida
Criatura muito amada, uma criança querida
Que só nos faz bem, transforma nossa vida

Bono nós te amamos!
Fique conosco ainda por muitos anos!
Ensinando mais do amor, como jamais imaginamos!


Amor aos animais!

Virvinhas