domingo, 12 de dezembro de 2010

Sarau do Laboratório de Autoria


Olá Pessoal!

Na próxima quarta-feira, dia 15 de dezembro de 2010, os alunos do LABORATÓRIO DE AUTORIA estarão apresentando seus melhores textos, escritos ao longo do semestre.
O sarau é aberto ao público e acontece no CELIN (Centro de Referêcia para o Desenvolvimento da Linguagem), PUCRS, Faculdade de Letras, Prédio 8, 2º andar, sala 223, às 16h30min.
Cursei esta oficina literária durante este semestre e o resultado foi surpreendente.
O objetivo da oficina era escrever para o leitor infantil, sob a orientação do Prof., escritor e ilustrador Celso Sisto.
Os alunos produziram textos de grande qualidade literária!
Estou muito feliz por ter participado e espero que em breve possamos ver alguns destes textos publicados!
Sonhar não custa nada!
Quem sabe?
Todos estão convidados!

Virvinhas

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O Primeiro Esconde-Esconde na Terra



Olá Pessoal!

Muitos já conhecem o texto abaixo, está em vários sites na internet com seu título:¨O Amor e a Loucura¨ e tem seu autor desconhecido.
Mas pensei que valeria a pena postá-lo, pois brincar de esconde-esconde continua sendo uma das brincadeiras mais divertidas. Não acham?

¨O Amor e a Loucura¨

"Contam que uma vez se reuniram todos os sentimentos e qualidades dos homens em algum lugar da terra.
Quando o ABORRECIMENTO havia reclamado pela terceira vez, a LOUCURA, como sempre tão louca, lhes propôs:
- Vamos brincar de esconde-esconde?
A INTRIGA levantou a sobrancelha intrigada e a CURIOSIDADE sem poder conter-se perguntou?
- Esconde-esconde? Como é isso?
- É um jogo, explicou a LOUCURA, em que eu fecho os olhos e começo a contar de um a um milhão enquanto vocês se escondem, e quando eu tiver terminado de contar, o primeiro de vocês que eu encontrar, ocupará o meu lugar para continuar o jogo.
O ENTUSIASMO dançou seguido pela EUFORIA.
A ALEGRIA deu tantos saltos que acabou por convencer a DÚVIDA e até mesmo a APATIA, que nunca se interessavam por nada.
Mas nem todos quiseram participar....
A VERDADE preferiu não esconder-se..."Para quê, se no final todos me encontram?
A SOBERBA opinou que era um jogo muito tonto (no fundo o que a incomodava era que a idéia não tivesse sido dela).
A COVARDIA preferiu não arriscar-se.
- Um, dois, três, quatro...começou a contar a LOUCURA.
A primeira a esconder-se foi a PRESSA, que como sempre caiu atrás da primeira pedra do caminho.
A FÉ subiu ao céu e a INVEJA se escondeu atrás da sombra do TRIUNFO, que com seu próprio esforço tinha conseguido subir na copa da árvore mais alta.
A GENEROSIDADE quase que não consegue esconder-se, pois cada local que encontrava, lhe parecia maravilhoso para alguns de seus amigos.
Se era um lago cristalino, ideal para a BELEZA.
Se era a copa de uma árvore, perfeito para a TIMIDEZ..
Se era o vôo de uma borboleta, o melhor para a VOLÚPIA.
Se era uma rajada de vento, magnífico para a LIBERDADE.
E assim... acabou escondendo-se em um raio de sol.
O EGOÍSMO, ao contrário, encontrou um local muito bom desde o início...ventilado, cômodo, mas apenas para ele.
A MENTIRA escondeu-se no fundo do oceano (mentira, na realidade, escondeu-se atrás do arco-íris)... e a PAIXÃO e o DESEJO, no centro dos vulcões.
O ESQUECIMENTO não recordo-me onde escondeu-se, mas isso não é o mais importante.
Quando a LOUCURA já estava lá por volta dos 999.999, o AMOR ainda não havia encontrado um lugar para esconder-se, pois todos já estavam ocupados, até que encontrou uma roseira e, carinhosamente, decidiu esconder-se entre as suas flores.
A primeira a aparecer foi a PRESSA, apenas a 3 passos de uma pedra.
Depois escutou-se a FÉ discutindo com Deus, no céu, sobre zoologia.
Sentiu-se vibrar a PAIXÃO e o DESEJO nos vulcões.
Em num descuido a LOUCURA encontrou a INVEJA, e claro, pode deduzir onde estava o TRIUNFO.
O EGOÍSMO, não teve nem que procurá-lo: ele sozinho saiu disparado de seu esconderijo, que na verdade era um ninho de vespas.
De tanto caminhar a LOUCURA sentiu sede e ao aproximar-se de um lago, descobriu a BELEZA.
A DÚVIDA, foi mais fácil ainda, pois a encontrou sentada sobre uma cerca sem decidir de que lado se esconder.
E assim ... foi encontrando a todos.
O TALENTO entre a erva fresca, a ANGÚSTIA em uma cova escura, a MENTIRA atrás do arco-íris (mentira, estava no fundo do oceano) e até o ESQUECIMENTO que já havia esquecido que também estava brincando de esconde-esconde.
Apenas o AMOR não aparecia em nenhum lugar.
A LOUCURA, procurou atrás de cada árvore, embaixo de cada rocha do planeta e em cima das montanhas.
Quando estava a ponto de dar-se por vencida, encontrou um roseiral.
Pegou uma forquilha e começou a mover os ramos, quando no mesmo instante, escutou-se um doloroso grito.... os espinhos haviam ferido o AMOR nos olhos.
A LOUCURA não sabia o que fazer para desculpar-se....
Chorou, rezou, implorou, pediu perdão e até prometeu ser seu Guia.
Desde então, desde que pela primeira vez se brincou de esconde-esconde na terra, o AMOR é cego e a LOUCURA sempre o acompanha.


Diversão a todos!
Virvinhas

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Dia do Idoso



Uma de minhas primeiras postagens aqui no blog foi uma homenagem ao meu avô.
Ele vive em São Paulo e continua uma figura! E como estou longe bateu uma saudade...

Então para quem ainda não viu o texto é só clicar aqui: Meu avô é uma figura!

Com este texto, que expressa minha admiração por meu avô, aproveito também para, neste Dia Internacional do Idoso, reverenciar toda experiência e carinho dos muitos vovôs e vovós maravilhosos que existem por aí.

Meu carinho e respeito!

¨Rotina é uma palavra que não existe,
pois cada dia traz consigo pequenas
surpresas e cada pequeno gesto
guarda uma imensa felicidade...¨


Virvinhas

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Prêmio TOC 140 da Fliporto- PE


Olá Pessoal!

Só para compartilhar com meus leitores aqui do blog, a Fliporto divulgou os classificados no Prêmio TOC 140, que selecionou os melhores poemas de até 140 caracteres pelo Twitter.
Estou feliz pois em mais de mil em julgamento, um de meus poemas foi selecionado na primeira fase do concurso para sair na coletânea: "Os cem melhores poemas do TOC140".
Esta coletânea será lançada na Fliporto, que acontece entre 12 a 15 de novembro de 2010 em Olinda-PE.
Parabéns aos selecionados e boa sorte aos 10 primeiros, que concorrerão em votação on line para a premiação final.
Quem quiser saber os detalhes, é só acessar a página divulgada pela Fliporto.
Ter um de meus escritos publicado em mais uma coletânea, também não tem preço!
Adorei!

Beijos!

Virvinhas

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Tirando o atraso!


Como falei no último texto, preciso tirar o atraso na leitura de literatura infantil.
Claro que leio muito contando histórias para as crianças lá no hospital, mas é uma leitura diferente.
Em casa dá para ¨degustar¨ muito melhor as entrelinhas do texto.
Hoje li O Pequeno Príncipe, de Antoine de Sant-Exupéry (sei que não é novidade, mas eu disse que estou recuperando o tempo perdido).
Uma leitura para adultos e crianças que vale a pena repetir sempre.
Destaco aqui alguns de meus trechos favoritos desse belo texto:

¨...é bem mais difícil julgar a si mesmo que julgar os outros. Se consegues fazer um bom julgamento de ti, és um verdadeiro sábio.¨

¨...só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.¨

¨...os homens esqueceram essa verdade... Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.¨

¨...se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde às três eu começarei a ser feliz!¨

¨...sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!...E nenhuma pessoa grande jamais entenderá que isso possa ter tanta importância!¨


Pra quem se animou, boa leitura!
Virvinhas

domingo, 29 de agosto de 2010

Contentamento



Somente hoje, consegui ler o clássico Pollyanna, de Eleanor H. Porter.
E não é que dá mesmo uma vontade danada de praticar aquele ¨Jogo do Contente¨? Procurar o lado bom das situações sempre!
Citarei abaixo outra parte do texto que vale uma boa reflexão:

¨O que as criaturas querem é encorajamento.
Em vez de censurar constantemente os defeitos de um homem, falai às suas virtudes. Procurai tirá-lo da senda dos maus hábitos. Sustentai, fortificai o melhor do seu eu, a parte boa que não ousou ou não pôde ainda manisfestar-se.
A influência de um belo caráter é contagiosa e pode revolucionar uma vida inteira.
As criaturas irradiam o que trazem no cérebro e nos corações...
Quem procura o mau, esperando encontrá-lo, certo que o encontra. Mas quem procura o bom, certo de encontrá-lo, encontra o bom...¨


Desejo-te uma semana de muito Santosha (contentamento)!

Virvinha

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Poema do Concurso


Olá Pessoal!

Conforme falei anteriormente, fiz um poema para um concurso literário em homenagem aos 450 anos da cidade de Mogi das Cruzes.
Fiquei bem feliz ao saber que foi selecionado para publicação em uma antologia poética.
Agradeço especialmente ao Rogério, que me representou no evento de premiação e lançamento do livro lá em Mogi.
Parabenizo também todos os poetas que participaram do concurso!
Aqui o poema escolhido, minha primeira publicação...

Os Encantos de Mogi
Vamos falar em Mogi...
Cidade bela, acolhedora está aqui
Faz 450 anos, merece homenagem, você há de convir

Conheça a história de Mogi...
Gaspar Soares foi o fundador daqui
Braz Cubas também procurou ouro por aqui

Vamos localizar Mogi...
Na região do Alto Tietê, antes Rio Anhembi
Para os índios Rio das Cobras ou M’Boigy

Importante falar das Cruzes de Mogi...
Acrescentado ao nome por habitantes daqui
Elas limitavam os marcos e terrenos da vila Mogi

Belezas tantas há em Mogi...
As naturais, as da Serra do Itapety
As orquídeas mais lindas também são daqui

Há muito que conhecer em Mogi...
Orquidário oriental, escola ambiental
Além da simpatia dos habitantes daqui

Sem contar os belos patrimônios de Mogi...
Casarão colonial, Largo do Carmo e sua catedral
Ruas e calçadas estreitas, características daqui

Cultura e diversão há também em Mogi...
Museu Pinheiro Franco,Theatro Vasques, roteiro cultural
Comer tortinho na praça ou um tradicional caqui

Você pode relaxar em Mogi...
Nas pontes flutuantes do Parque Centenário, sem igual
Homenagem aos orientais que chegaram aqui

É por isso que felicitamos Mogi...
Seu encanto, sua gente, não dá pra resistir
Sucesso, harmonia e um esplêndido porvir!

Virvinhas

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Dia de Contador de Histórias


Hoje contei
Em naves viajei
Bruxas incorporei
Olhares estudei

Hoje criei
Em fantasias embarquei
Rabanetes plantei
Versos recitei

Hoje fiz sorrir
Piadas permiti
Monstros destruí
Anjos vi surgir

Hoje escolhi
Dedicar-me como ninguém
Só para fazer o bem
Aos anjos que conheci


Saúde a todos!
Virvinhas

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Fazer Sorrir


Oi Pessoal!

Hoje foi meu primeiro dia como Contadora de Histórias para crianças em um hospital e posso afirmar, como dizem aqui meus amigos gaúchos, que foi tri legal, fiquei bem faceira!
Ver que é possível arrancar sorrisos de carinhas cansadas, entediadas e tristes é sensacional!
Claro que comecei devagar, ainda acompanhada de um contador veterano, observando-o e conhecendo o local, mas já contei para duas crianças e nos divertimos muito.
Vivo agora rodeada de livrinhos infantis para aperfeiçoar minhas caras, bocas, jeitos e trejeitos que ajudem as crianças ¨viajar¨ nas histórias.
Espero ter sempre muita energia para este trabalho!

Alegria e diversão à todos!

Virvinhas

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Feliz!!



Oi Pessoal!!

Só pra dividir com vocês, terei meu primeiro poema publicado!
É que estou entre os finalistas de um concurso literário que participei.
Não sei ainda se estou entre os 3 primeiros que ganharão prêmios, mas já estou muito feliz por ter um de meus escritos no livro que será lançado em breve...

Obrigada aos seguidores do blog, grandes amigos e incentivadores desta brincadeira despretensiosa.

Beijos!

Virvinhas

sábado, 12 de junho de 2010

Amor de verdade



Esta mensagem é bem velha, já rolou bastante pela internet mas vale muito relembrar neste dia em homenagem ao amor...

Um homem de idade já bem avançada veio à Clínica onde trabalho, para fazer um curativo na mão ferida.
Estava apressado, dizendo-se atrasado para um compromisso. Enquanto o tratava perguntei-lhe sobre qual o motivo da pressa.
Ele me disse que precisava ir a um asilo de anciãos para, como sempre, tomar o café da manhã com sua mulher que estava internada lá.
Disse-me que ela já estava há algum tempo nesse lugar porque tinha um Alzeimer bastante avançado.
Enquanto acabava de fazer o curativo, perguntei-lhe se ela não se alarmaria pelo fato de ele estar chegando mais tarde.
"Não", ele disse. "Ela já não sabe quem eu sou. Faz quase cinco anos que não me reconhece".
Estranhando, lhe perguntei:
"Mas se ela já não sabe quem o senhor é, porque essa necessidade de estar com ela todas as manhãs?"
Ele sorriu e dando-me uma palmadinha na mão, disse:
"É, ela não sabe quem eu sou, mas eu, contudo, sei muito bem quem é ela".
Meus olhos se encheram de lágrimas enquanto ele saía. Pensei: "Essa é a classe de amor que eu quero para a minha vida. O verdadeiro amor não se reduz ao físico nem ao romântico. O verdadeiro amor é a aceitação de tudo o que o outro é, do que foi, do que será e... do que já não é..."


Feliz Dia dos Namorados!
Virvinhas

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Estar Enamorado



Hoje, véspera do dia dos namorados, li algo que vale a pena compartilhar.
Mas antes quero deixar a homenagem ao meu eterno namorado, presente de Deus em minha vida. Nestes textos há palavras que escrevi pensando nesta criatura linda: Teu olhar , Novamente o Amor e Ter alguém.

Vamos então ao texto que li e infelizmente não sei a autoria...

Era uma vez um homem que tinha uma floricultura e alguém que vivia por entre flores, só podia entender muito de amor.
Era dia dos namorados, um rapaz entrou correndo em sua loja e disse-lhe:
- Por favor, senhor, providencie-me um buquê de flores.
- E que tipo de flores você quer?
- Qualquer tipo. Só quero que seja algo que faça vista; pode ser o mais caro que o senhor tiver aí.
- Está certo. Então tome o cartãozinho para você escrever
- Não tem necessidade, é para minha namorada e como hoje é o dia dos namorados, ela saberá que é meu.
- Você que sabe, mas no seu lugar, eu escreveria.
- Não posso, estou com muita pressa! Vou levar meu carro para lavar. Depois que o rapaz se foi, o senhor ficou ali a pensar como alguém poderia enviar flores sem as escolher, sem escrever um cartão com uma bonita dedicatória... mas, enfim preparou um bonito buquê e mandou para o tal endereço pensando... "Coitada dessa moça!"
Algumas horas depois, um outro rapaz entrou na sua loja.
- Senhor, por favor, eu quero mandar uma flor para alguém. Ela é muito especial, mas não tenho dinheiro suficiente para um buquê requintado; sendo assim, terá que ser somente uma rosa, mas faço questão que seja a mais linda que exista em sua floricultura.
- Pois bem, você quer escolhê-la ou prefere que eu escolha?
- Gostaria de escolher, mas aceito a sua sugestão porque tenho certeza que o senhor entende bem disso.
- Será um prazer! É sua namorada, não?
- Não senhor... ainda não... mas isso não é importante; o importante é que eu a amo e acho que hoje é um bom dia para dizer isso a ela.
- Muito bem, concordo com você.
- Talvez eu devesse escolher um botão de rosa, não acha? Afinal, nosso amor ainda não floresceu.
- Muito bem pensado!
Naquele instante o senhor percebeu que o rapaz, como ele, entendia de amor e com certeza estava vivendo um doce amor.
- Por favor, faça o invólucro mais bonito que o senhor puder fazer enquanto escrevo o cartão.
"Meu amor, estou lhe mandando esse botão de rosa juntamente com meu carinho. A mim, não importa que você não me ame, porque apesar do meu amor ser solitário ele é verdadeiro e sendo verdadeiro, confio que um dia poderá viver acompanhado do seu. Não tenho pressa, amor de verdade não tem pressa, amor de verdade não escraviza, nem exige, apenas se importa em doar. Um feliz dia dos namorados ao lado de quem você amar. Um beijo!"
Depois que escreveu o cartão, o rapaz entregou ao senhor e disse-lhe:
- Leia por favor e me dê a sua opinião.
- Perfeito, gostei muito; só faltou um pequeno detalhe, você esqueceu de assiná-lo.
- Não esqueci, não... É que não é importante, por enquanto, que ela saiba quem sou eu. Nesse momento eu só pretendo que ela sinta quem sou eu.
O senhor sorriu e disse-lhe: Muito bem, meu filho, torço por você!
Passaram-se os dias, os meses e um novo dia dos namorados chegou e novamente o primeiro rapaz voltou a loja.
- Bom dia, senhor, lembra-se de mim?
- Lembro, sim, e então, como vai o namoro?
- Ih...o senhor nem imagina! Depois daquele dia dos namorados do ano passado, ela terminou comigo e eu nunca entendi a razão; agora já estou namorando outra.
- Mas ela não lhe deu nenhuma explicação?
- Ah! deu sim... uma explicação que eu não entendi. Ela me disse que eu a estava perdendo por causa de um botão de rosa. O senhor entende, não é? Bobagens de mulher.
- Entendo sim... quem não entendeu foi você!
Não adianta um casal apenas sorrir juntos; eles precisam sorrir das mesmas coisas.
Não adianta apenas caminhar juntos; tem que ser na mesma direção.
Não adianta apenas mandar flores; é crucial que elas cheguem ao seu destino com o perfume.
Não adianta se fazer presente apenas de corpo; é de suma importância que a alma e o coração estejam presentes também.
NÃO BASTA SER NAMORADO É PRECISO ESTAR ENAMORADO!!!!


Excelente Dia dos Namorados à todos!
Virvinhas

quarta-feira, 9 de junho de 2010

A Samambaia e o Bambu



Transcrevo hoje uma mensagem chamada ¨A Samamaia e o Bambu¨.
Não sei a autoria mas mesmo assim vale compartilhar...

Certo dia decidi dar-me por vencido.Renunciei ao meu trabalho, às minhas relações, e à minha fé. Resolvi desistir até da minha vida.
Dirigi-me ao bosque para ter uma última conversa com Deus.
Eu disse:
“Deus, poderias dar-me uma boa razão para eu não entregar os pontos?”
Sua resposta me surpreendeu:
“Olha em redor, estás vendo a samambaia e o bambu?”
“Sim, estou vendo”, respondi.
“Pois bem. Quando eu semeei as samambaias e o bambu, cuidei deles muito bem.
Não lhes deixei faltar luz e água. A samambaia cresceu rapidamente, seu verde brilhante cobria o solo. Porém, da semente do bambu nada saía. Apesar disso, eu não desisti do bambu.
No segundo ano, a samambaia cresceu ainda mais brilhante e viçosa. E, novamente da semente do bambu, nada apareceu. Mas, eu não desisti do bambu.
No terceiro ano, no quarto, a mesma coisa… Mas, eu não desisti.
Mas… no quinto ano, um pequeno broto saiu da terra.
Aparentemente, em comparação com a samambaia, era muito pequeno , até insignificante.
Seis meses depois, o bambu cresceu mais de 50 metros de altura. Ele ficara cinco anos afundando raízes. Aquelas raízes o tornaram forte e lhe deram o necessário para sobreviver.
A nenhuma de minhas criaturas eu faria um desafio que elas não pudessem superar”
E olhando bem no meu íntimo, disse:
“Sabes que durante todo esse tempo em que vens lutando, na verdade estavas criando raízes? Eu jamais desistiria do bambu. Não desistiria de ti. Não te compares com outros. O bambu foi criado com uma finalidade diferente da samambaia, mas ambos eram necessários para fazer do bosque um lugar bonito”.
“Teu tempo vai chegar” disse-me Deus. “Crescerás muito!”
“Quanto tenho de crescer?” perguntei.
“Tão alto como o bambu.” foi a resposta.
E eu deduzi: Tão alto quanto puder!
Espero que estas palavras possam ajudar-te a entender que Deus nunca desistirá de ti.
Nunca te arrependas de um dia de tua vida.
Os bons dias te dão felicidade.
Os maus te dão experiência.
Ambos são essenciais para a vida.
A felicidade te faz doce.
Os problemas te mantêm forte.
As penas te mantêm humano.
As quedas te mantêm humilde.
O bom êxito te mantém brilhante.
Mas, só Deus te mantém caminhando...


Paz e Luz!
Virvinhas

sábado, 8 de maio de 2010

Às mães


Às mães
Que acalentam
Que orientam
Que confiam
Que perdoam

Às mães
Preocupadas
Apaixonadas
Verdadeiras
Companheiras

Às mães
De coração
Que dizem não
Que mimam
Que ensinam

Às mães
Solteiras
Sinceras
Fofinhas
Certinhas

Às mães
Que adivinham
Que aprontam
Que respeitam
Que se doam

Às mães
Modernas
Ciumentas
Engraçadas
Atrapalhadas

Às mães
Que defendem
Que compreendem
Que repreendem
Que se arrependem

Às mães
Orgulhosas
Nervosas
Sorridentes
Experientes

Às mães
De verdade
Na mocidade
Na melhor idade
Ou que deixaram saudade

Às mães
De todos
De muitos
De um
Ou ainda de nenhum

Um amor imenso
Dos corações de filhos gratos
Por nascerem nos braços
Das melhores mães do mundo!



PS: Dedicado à melhor mãe do mundo: a minha!
Minha gratidão e todo meu amor!
Mãe: Feliz dia das mães! Te amo!

Virvinhas

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Aos leitores deste blog


Olá Pessoal!

Não abandonei o blog não, estou aqui, escrevendo à todo vapor!
É que resolvi inscrever alguns textos inéditos em concursos literários, o que toma um certo tempo e me impede de publicar aqui diariamente.
Não sei se terei sucesso mas enfim, vale a participação certo?
Aproveito para pedir a opinião sincera de vocês sobre os textos deste blog.
Os comentários nos textos que gostaram e principalmente naqueles que não gostaram será excelente, para que eu possa me aperfeiçoar.
Este retorno é muito importante para esta iniciante no universo das palavras.

Agradeço imensamente o carinho de todos!

Beijos!

Virvinhas
PS: Publicarei novo texto em breve!

quinta-feira, 18 de março de 2010

Apenas uma gota de água no mar...


Ontem li algo em um livro que me fez refletir por horas.
Na frase atribuída à Teresa de Calcutá, senti toda a pequenez dos meus esforços em fazer o bem.
Estava escrito assim: ¨O senhor não daria banho em um leproso nem por 1 milhão de dólares? Eu também não. Só por Amor se pode dar banho em um leproso¨.
Pensei e repensei se não seria eu também como esta pessoa a qual ela argumenta com tanta humildade.
Será que realmente estamos dispostos a fazer o bem pelo bem e sem olhar a quem?
Será que lá no fundo ainda temos total certeza de praticar uma caridade totalmente desinteressada?
Há várias passagens no desenrolar do texto que me fizeram refletir o quanto preciso ainda aprender sobre caridade. Não falo aqui de esmolas, de obrigações humanitárias, faxina no armário de roupas, enfim coisas válidas, mas como dito no referido texto ¨a verdadeira caridade começa após estas ações¨.
Eu também nunca havia pensado antes assim, porque acreditamos muitas vezes que estas coisas são a caridade e não o que vem depois delas...
Mas o que vem depois?
Coisas como: atenção, tempo, ouvidos dispostos a ouvir, compaixão, amizade, compromisso, aconchego, interesse verdadeiro, enfim algo tão mais difícil de doar do que qualquer quantia do salário. E como dizem na propaganda ¨coisas que não tem preço¨.
O que aquietou um pouco meu coração foi outra frase mencionada no livro, onde aprendi que só estou no começo da caminhada, de meus esforços em evoluir no bem e no amor. Dizia: ¨Aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota¨.
Então, depois de frases como estas, só resta-me refletir um pouco mais sobre como colocar em prática isto na vida diária, sair dos condicionamentos e espalhar minhas gotinhas por aí.
Indico para quem se interessar por este assunto o referido livro, que ainda estou lendo, mas já valeu muito a pena: ¨A Força Eterna do Amor¨, de Robson Pinheiro.
Espalhem hoje suas gotinhas!

Paz e Luz!

Virvinhas

quinta-feira, 4 de março de 2010

Bono, um amor incondicional!!



Bono é um cão de 10 anos
Tem casa de madeira, amarela, com vários panos
Saudável, um pouco grisalho e nós o amamos


Bono é um cão temperamental
Tem manias estranhas, fora do normal
Mas sabe fazer disso algo banal

Bono é um cão arteiro, bagunceiro,
Ninguém agüenta o seu cheiro
Nós adoramos, é maneiro!

Bono é um cão meio porcão
Gosta do seu cheiro e de banho não
Mas esse dia chega, é uma mega operação

Bono é um cão medroso, mas fogoso
Faz do pano um parceiro horroroso
Sempre mostra às visitas, esse vício embaraçoso

Bono é um cão viajado
Andou de avião, atravessou Estado
Mas toda vez que sai na rua fica empacado

Bono é um cão teimoso
Quase nunca obedece, é desastroso
Na hora da bronca, vira a cara, orgulhoso

Bono é um cão simpático
Roedor, por um osso é fanático
Sem osso rói qualquer coisa, feito lunático

Bono tem um olhar ¨pidão¨
Aquele que conquista a todos, derrete coração
Usa sempre isso na hora da confusão

Bono é um cão inocente
E é alegria da casa da gente
O único que nos ama incondicionalmente.

Bono é um cão de bem com a vida
Criatura muito amada, uma criança querida
Que só nos faz bem, transforma nossa vida

Bono nós te amamos!
Fique conosco ainda por muitos anos!
Ensinando mais do amor, como jamais imaginamos!


Amor aos animais!

Virvinhas

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Meu avô é uma figura!


Meu avô é uma figura
Braços longos, muito abaixo da cintura
Vive a vida do seu jeito
Camisa social, calça de tergal
Amarrada quase que no peito
Postura altiva, tipo general
Ama sua família, tem ar patriarcal
Conversar com ele é viajar ao passado
Fatos vividos, carros antigos, patrões conquistados
Em minha infância, foi o maior vilão
Exigia modos, silêncio, educação
Não conseguia ver seu grande coração
Mas criança pequena não quer saber disso não
Tem dezenas de frases de efeito
Que repete sempre pra chamar atenção
A gente cai no riso, não tem jeito
E acaba incorporando-as, feito maldição
Sempre foi meio ranzinza, preocupadão
Quer todos sentados à mesa e ele não
É o último à servir-se na hora do jantar
Observa se a comida vai dar pra todos, não vai faltar
Em seu prato esvazia o vidro de pimenta até a metade
Diz que nunca encontrou uma que ardesse de verdade
No fundo gosta de chamar atenção
Depois fica entalado, olhos fechados, segurando a testa com a mão
Sua preocupação é tanta que virou obsessão
Quer saber se todos chegaram bem em casa
Não dorme sem antes fazer a ligação:
¨Alô? Chegou? Tá tudo bem? Descurpe se incomodo!¨
Para todos a mesma coisa, sempre do mesmo modo.
Queria morar em sítio, ter uma horta
Como não dá, planta na caixa d’água, não importa
Faz da casa seu palácio, onde reina
Viajar? Nunca, sempre teima
Já criou cão, peixe, gato, passarinho
Mas não quer que façam barulho, não incomode o vizinho
Faz palavra cruzada, é craque em sudoku
E sempre discute com a vó, que sufoco!
Mas é briga de casal, rotineira, constante
Já virou mania, coisa irritante
Se contrariado fica nervosão
Xinga , bate na mesa, fala palavrão
Falar besteira perto dele é um problema
E hora de ¨cantar parabéns¨ vira dilema
Mas todo mundo sorri, fala entre dentes
Por que na hora da piada ele nunca está presente?
Acho que quer permanecer durão
Ser respeitado, manter reputação
Sempre foi direito, mais honesto não existe
Talvez até ingênuo, sua pureza resiste
Quer ajudar à todos, sempre insiste
Pra isso ganha força, o corpo resiste
Então me lembro que em todas as horas lá estava ele, presente
Embora às vezes, quisera ficar em casa, reinando, ausente
E mesmo ele sendo assim, uma figura
Todos temos algo dele, uma mistura
Até hoje, mesmo gerando polêmica e contradição
Ninguém resiste ao seu charme, gentileza, educação
Um caráter precioso e um imenso coração
O melhor avô do mundo, jóia rara,
Verdadeiro paizão...

À ti, vô Angelo, todo o meu amor...

Sua neta Virvinha

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Escrever, uma vontade irresistível!

Só o que dá tanto prazer quanto escrever é ler! Mas chega uma hora que a cabeça fica com tanta informação que a gente precisa deixar alguma coisa sair. O que esperar do resultado? Podem achar muitas coisas, mas o que importa é que saiu e pode sempre melhorar! Então foi assim....

Preces - Foi onde tudo começou, a vontade irresistível de escrever as preces que brotavam do meu coração. Intuição? Doidera? Sei lá ...

Poemas - Depois vieram os poemas, tímidos, às vezes ridículos à meu ver em cada releitura, mas saíram e isso é o que importa.

Crônicas - A vontade irresistível apareceu novamente após ler um livro de crônicas. Pensei: ¨Poderia começar por aqui, vamos ver no que dá...¨

Romance - Este é um projeto ainda em andamento. Uma das várias coisas à alterar é o nome da personagem principal Helena (deixa pro Maneco né!).

Livro Infantil - Se eu falar que também tenho um iniciado vocês vão pensar: ¨Peraí , uma coisa de cada vez não é?¨. O que eu faço se aparece na cabeça tudo ao mesmo tempo agora?

Um dia ouvi de um grande amigo doutor dizer: ¨Mas filha você pensa muito!¨
Então publicarei aqui periodicamente o que foi surgindo neste período, para que voces também acompanhem meus erros e acertos (tomara que mais acertos!). Quem sabe assim, deixando as coisas saírem, eu consiga aplacar até uma antiga companheira chamada enxaqueca? Acho que esse doutor sabia das coisas...

Luz à todos!

Virvinhas

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

A s pérolas do início


Olá pessoal, enfim criei coragem...
Mas de quê?
Eu explico: de mostrar as minhas pérolas mais preciosas, ou seja, meus escritos.
Pode parecer bobagem para alguns mas com certeza, todo aspirante à escritor ou quem simplesmente coloca no papel aquela emoção ou pensamento mais profundo, terá um grande receio inicial de mostrar à alguém.
Quantos já estão no lixo? Ou guardados à sete chaves nas gavetas do mundo? Pessoas com personalidades diferentes e que de uma hora para outra sentem aquela vontade irresistível de colocar no papel aquilo que pensam, que sentem ou algo que aconteceu e querem contar para o mundo mas não somente pra as pessoas que conhecem.
Tem gente que pensa tanta coisa linda e para quê guardar? Pode ajudar a fazer uma conexão com alguém que esteja pensando a mesma coisa, com a mesma sintonia, pode aproximar, motivar, realizar....
A gente sempre lê também tanta coisa bonita, já concordou, discordou, mas achar que o que escrevi não pode ser publicado jamais é criar o meu próprio crítico carrasco. Alguém já se sentiu assim?
Pois resolvi fazer a informação circular aqui mesmo neste blog de Escritos dos não escritores¨. E podem palpitar se quiserem, mandarem os seus próprios ecritos, frases ou reflexões. Seremos como ostras que podem produzir coisas realmente preciosas, ou não, mas se não as abrirmos nunca saberemos não é?
Eu já tenho várias pérolas e todas preciosas para o meu coração. Mostrarei-as periodicamente aqui.
Para finalizar queria mencionar que esta coragem veio da lembrança de um ensinamento de um professor de Yoga que tive em São Paulo, o Gérson, que nos ensinava à passar o conhecimento do Yoga com responsabilidade e respeito, nos tornando um elo forte da grande corrente de transmissão que existe desde sua criação há cerca de 5.000 anos.
Então fiz uma analogia: se há nestas minhas pérolas amor, respeito e boa intenção; elas formam a grande preciosidade que eu sou, são a pureza do meu eu mais profundo e a beleza do ¨elo da corrente¨ que represento na grande obra do Criador.
Coragem à todos!

Virvinhas