quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Infância com quarto secreto

Por alguns meses de minha infância, morei na casa de meus avós maternos. 
Época cheia de acontecimentos e histórias que marcaram meu coração.
Uma delas envolveu meu avô. Ele tinha um quarto secreto.
Sim, isso mesmo, secreto e trancado às chaves.  Era o seu ¨Reino¨.
Dizia ele toda vez após o cochilo da tarde: ¨Vou reinar um pouco¨.
E ai de alguém que o interrompesse!
O quarto ficava nos fundos da casa, com uma porta imensa de madeira e janela com vidros jateados à prova de bisbilhotices.
Antes de chegar à porta havia uma espécie de corredor largo em que ele espalhou por todas as paredes e pelo chão  seus ¨ instrumentos mágicos¨.
Havia ali também algumas armadilhas: ferramentas, soldas , compressores,  uma bancada com milhões de apetrechos misteriosos.
Nas paredes pendurava chaves, fotos, recortes de jornais, quadros estranhos, peças do carro, alguns armários com mais milhões de cacarecos. Tinha até um tubo antigo de TV, aqueles com válvulas que poderiam explodir a qualquer momento! Enfim uma parafernália só.
Dali saía de tudo, invenções, gritos, risadas, consertos, barulhos, reciclagens, canções antigas de uma vitrola pré-histórica e eu ficava no quintal à imaginar o que estaria acontecendo lá.
O começo do corredor maluco foi até onde me aventurei a chegar. Era também o meu limite.
- Nada de avanços! - dizia ele - tem coisas perigosas aqui e você pode se machucar!
No fundo, minha imaginação infantil fervilhava,  achando que tudo aquilo era só uma prévia do que havia no quarto trancado. Algo para despistar o real segredo dele.
Um inventor, alguém com habilidades manuais para consertos, criações ou sei lá o que ele era realmente, precisaria mostrar suas obras, certo? 
Então por quê deixar o quarto trancado e solicitando que ninguém ali entrasse?
Ali tinha coisa e eu era louca para descobrir.
Mas várias foram minhas tentativas de adentrar um pouco mais no Reino de meu avô, porém a vigilância era severa e constante.
O general chefe da guarda era durão e pronto para descobrir qualquer artimanha ou plano meu infalível, que não era lá  tão infalível assim.
Até que um dia aconteceu algo que iria mudar essa estória.
Eu possuía algo de extremo valor, algo muito caro ao meu coração infantil, verdadeiro tesouro que andava comigo para baixo e para cima e que dificilmente mostrava à alguém.
E esse tesouro foi roubado.
Foi irremediavelmente surrupiado!
Seqüestrado sem pedido de resgate!
E o pior: condenado pelo general à ficar eternamente guardado no quarto secreto.
Isso abalou minhas estruturas, me deixou indignada.
O meu adorado tesouro, algo de valor inestimável para uma criança, afastado eternamente?
Era demais. Estava declarada a guerra!
Iria invadir aquele reino secreto, descobrir seu segredo e recuperar o meu tesouro de qualquer maneira! Nem que isso demorasse anos!
Se deu certo?
Calma, sei que o prazo está se esgotando, mas ainda resta um tempinho e eu não desisto nunca!

P.S.:  Relatório do Pós-Guerra: (O general da guarda se foi. Levou consigo seu segredo. Mas deixou o maior e verdadeiro tesouro, no meu coração).
À ti vô Angelo, meu eterno amor!


quarta-feira, 16 de julho de 2014



Olá Pessoal!
 
Compartilho com todos minha felicidade em ver o trabalho primoroso que a Editora Adonis fez em ¨Teto de Estrelas ¨, livro que será lançado no próximo dia 20/07, em Americana.
 
 
Será meu primeiro texto infantil publicado.
 
 
Saber que este texto foi escolhido entre tantos como vencedor na categoria leitor iniciante do Prêmio Agostinho de Cultura,  causou-me imensa alegria.
Foi a motivação que faltava para que eu continue acreditando em meu trabalho e possa, de alguma forma, contribuir na formação dos pequenos leitores.
 
 
Abaixo o link da matéria completa que a Editora Adonis publicou em seu site:
 
 
¨A literatura infantil contemporânea oferece uma nova concepção de texto, aberto as mais diversas leituras, questionamentos e reflexões. Um dos latentes problemas sociais do país, a questão do menor abandonado, foi escolhida pela escritora Vivian Ferreira e serviu de pano de fundo para o conto da primeira obra vencedora do 4º Concurso Agostinho de Cultura a ser editada e publicada. O livro infantil "Teto de estrelas" tem lançamento no próximo domingo, 20 de julho, das 10h às 12h no quiosque Gostinho de Leitura (Zoo de Americana).¨ 

Siga lendo: http://bit.ly/1xFAxMg
Obrigada!
Abraços da Virvinhas

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Retrospectiva Livros 2013

Confesso que 2013 foi um ano fraco para minhas metas de leitura.
Por conta de compromissos com a escrita, li bem menos do que gostaria.
Foram apenas 22 livros no ano, divididos em diversos gêneros, mas a maioria ficou na categoria infanto-juvenil.
Então indico aqui um Top 3, de categorias diferentes, com pequenos comentários, pois foram os que mais me agradaram.

1- Brasil Fantástico

¨Não querendo puxar a sardinha pra lado algum¨, (podem pensar: Que descarada!), Brasil Fantástico me divertiu muito. Foi bom ver os mitos brasileiros revisitados de maneira tão criativa por escritores brasileiros que apostam no assunto e sabem que nossos mitos, tão pouco conhecidos por muitos jovens, podem render excelentes histórias. Sim, temos os clássicos: boto, curupira, mula sem cabeça e muitos outros como a pisadeira, boitatá e iara.

Livro: Brasil Fantástico
Editora: Draco
Organização: Clinton Davisson, Grazielle de Marco e Maria Georgina de Souza
Autores: Allan Cutrim, A. Z. Cordenonsi, Andréia Kennen, Antônio Luiz M. C. Costa, Christopher Kastensmidt, João Rogaciano, Marcelo Jacinto Ribeiro, Maria Helena Bandeira, Mickael Menegheti, Renan Duarte e Vivian Ferreira.
Páginas: 248


2- Sombras Vivas
 
Trata-se do segundo volume da Trilogia Reckless, onde o personagem principal Jacob Reckless, sofre as consequências de sua escolha em salvar o irmão Will, de uma maldição no Mundo do Espelho, fato que aconteceu no primeiro volume da série  ¨A maldição do Espelho¨ que li em 2012. Foi bom saber o que aconteceu depois dos momentos intensos do primeiro livro. Desta vez,  Jacob e sua companheira Fux, que é melhor apresentada agora,  terão que lutar por suas próprias vidas. Jacob está doente e precisa encontrar a cura para a mordida da mariposa que repousa em seu peito, herança da Fada Escura. Mas só há um remédio em todo o Mundo do Espelho capaz de salvá-lo. O livro continua com belas ilustrações e uma edição caprichada.
 
Livro: Sombras Vivas
Autor: Cornélia Funke
Editora: Companhia das Letras (Selo: Seguinte)
Páginas: 304
 
3- A Máquina de Fazer Espanhóis
 
Foi a primeira vez que li Valter Hugo Mãe. Houve um estranhamento inicial com a escrita, a linguística, ( o escritor angolano fez todo o romance sem uma letra maiúscula sequer), mas nada que tenha atrapalhado a profundidade e a beleza da obra, que fala sobre amor, poesia, política e a dificuldade do personagem em aceitar, na velhice, situações que fogem ao seu controle.
Este é um livro que me incomodou...e me conquistou.
Um belo livro, intenso, que preciso ler novamente daqui a algum tempo, pois há tanto ainda a ser descoberto em suas entrelinhas, como diz o poema ¨A Tabacaria¨, de Fernando Pessoa, muito mencionado no livro:
¨Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo...¨
 
Livro: A máquina de Fazer Espanhóis
Autor: Valter Hugo Mãe
Editora: Cosac & Naify
Páginas: 256
 
Excelentes leituras em 2014!
Virvinhas


sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Novidades




Olá Pessoal!

Faz tempo que não apareço aqui, mas tenho trabalhado em um romance juvenil que consome boa parte de meu tempo destinado à escrita.
Mas o texto está ficando bem legal e espero que saia logo, logo da gaveta.
Falando em tirar coisas da gaveta, coloquei alguns escritos no Wattpad que, para quem não conhece trata-se de uma ¨nova espécie¨ de rede social onde escritores veteranos e iniciantes postam seus textos, capítulos iniciais de obras publicadas ou projetos em andamento.
Ainda estou conhecendo o terreno, colocando alguns inscritos, mas quem sabe coloco os capítulos iniciais do livro que estou escrevendo? Vamos ver...
Postei lá também, dois textos infantis que criei quando cursava o Laboratório de Autoria na PUCRS.
Então, quem já conhece é só procurar na página do Wattpad o meu usuário (Virvinhas) ou clicar aqui ó : Virvinhas 
Se passar por lá, seu comentário ou crítica será muito importante para quem, como eu, inicia suas aventuras no mundo da literatura.

Valeu!

Virvinhas


sábado, 6 de julho de 2013

Brasil Fantástico chegou!


A coletânea Brasil Fantástico já está disponível pelo site da Editora Draco .

¨As criaturas da mitologia brasileira saem das histórias contadas de geração em geração para serem redescobertas na coletânea Brasil Fantástico – Lendas de um país sobrenatural.
Desde os tempos do Descobrimento surgem seres como curupira, saci, boitatá, iara, boto, pisadeira e lobisomem. Estas são apenas amostras das influências de culturas imigrantes e nativas que permeiam o Brasil e formam a nossa cultura popular.
Monstros que assustaram crianças e adultos durante anos — e há ainda quem acredite na existência deles. Com os mais variados estilos e gêneros como o terror, suspense, aventura e humor, as páginas de Brasil Fantástico são o encontro da literatura contemporânea com esse legado da imaginação brasileira.¨

Nem preciso dizer o quanto estou feliz em participar deste projeto com o conto ¨A Bruxa e o Boitatá¨,  que aborda um dos mistérios da nossa querida Ilha da Magia.

Bruna, a protagonista deste conto, nem imagina que ter nascido em Florianópolis, uma ilha cheia de encantos, possa ter um significado fora do comum.

Conheçam os autores, confiram as sinopses dos contos e fotos do livro que já
estão disponíveis na blog da editora : Draco Blog .

Depois contem o que acharam!

Abraços!

Virvinhas

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Cheiro de Mar


Sempre vivi distante do mar.
Mas mergulhada no mar de gente da capital paulista.
E deste tipo de mar sempre quis distância.
Contrariando mulheres compradoras de todo o país que dele querem constância.
Como minha mãe, a desfilar sacolas de compras no centro da cidade, flutuando no mar de gente sem a menor dificuldade, decidida a andar mais e mais, sem dos pés ter dó ou piedade.
E eu junto, quase desmaiada, revoltada, sem ser notada pela metade da mãe sereia que eu só via mergulhada num mar de ofertas do dia.
Não! Refiro-me a outros mares.
Verdes ou azuis não importa!
Mansos, divertidos, mágicos, traiçoeiros, belos e salgados, muito salgados!
Fato comprovado pela água que a gente engole de montão quando criança, nas primeiras tentativas de vencer aquela imensidão.
Se bem que, por tão belo deixar-se ver, o mar, refrescantemente doce deveria ser.
Mas não, o mar não quer doçura, prefere sua salinidade, que conserva nossa sanidade para não enfrentá-lo intempestivamente.
Minhas primeiras aventuras no encontro deste poderoso e irresistível amigo ocorreram nas praias do litoral Santista, sempre lotadas de banhistas em inúmeras colônias de férias.
Praia Grande, precisamente Cidade Ocian, onde a imensa estátua de Iemanjá já na chegada parecia encarar-me com um aviso: ¨Aqui quem manda sou eu!¨
E eu, como criança que responde à própria mãe que acabou de arrumar a sala, implorava: ¨Deixa vai, só um pouquinho! Prometo deixar tudo no lugar!¨
E logo se via a moreninha de biquíni de bolinha, transformar o pouquinho num dia inteirinho.
Naquele pedaço de mar vivi as mais incríveis aventuras, onde golfinhos, polvos, baleias e sereias eram as estrelas de festas animadas em meus castelos de areia.
Dona Iemanjá já não me ¨passava sabão¨ e até fazia vista grossa, mesmo me vendo sair com conchinhas na mão.
Sabia que no dia seguinte eu voltaria e arrependida as devolveria, explicando que só tinha levado as conchas pra passear.
Minha mãe na beira da praia lotada, não tirava os olhos de meus mergulhos, ruborizando minhas faces já torradas pelo sol quando gritava: ¨Virvinhaaaas!! Volta já está muito fundo aí!! Quer morrer afogada menina!???¨
Por vezes não voltava, nos dias que Dona Iemanjá convidava-me a segurar em seus longos cabelos negros, decidida a mostrar-me alguns segredos, mergulhando juntas na imensidão, alimentando sonho e ilusão. 
Hipnotizada na leveza do mundo azul que me puxava leve e sorrateiramente para o mais profundo pacto de amor, registrei na memória momentos, cores, texturas e um cheiro de mar que jamais esqueceria.
Dias depois acordava em minha cama, revoltada com a separação que o final das férias provocava, contando os dias para o próximo verão.
Porém um dia perdi as contas, desmanchei castelos, afastei-me do mar.
Esqueci até o caminho, mergulhando de cabeça num trabalho solitário e sozinho.
Procurei conquistar castelos, tesouros e mesmo longe, fui pilhada por piratas em mares de burocracias.
Mas aquele cheiro de mar nunca me abandonou e só depois de 30 anos, novamente perto dele estou.
E agora definitivamente vim pra ficar.
Falta encontrar Dona Iemanjá, fazer meu castelo, mergulhar no azul profundo e só sair de lá por alguns segundos, com novas histórias pra contar.  

 Virvinhas

domingo, 12 de maio de 2013

Dia das Mães

Mães
Acalentam
Orientam
Confiam
Perdoam
Há mães
Preocupadas
Apaixonadas
Verdadeiras
Companheiras
De coração
Que dizem não
Que mimam
Que ensinam
Solteiras
Sinceras
Fofinhas
Certinhas
Que adivinham
Que aprontam
Que respeitam
Que se doam
Modernas
Ciumentas
Engraçadas
Atrapalhadas
Que defendem
Que compreendem
Que repreendem
Que se arrependem
Orgulhosas
Nervosas
Sorridentes
Experientes

Às mães
De verdade
Na mocidade
Na melhor idade
Ou que deixaram saudade

Às mães
De todos
De muitos
De um
Ou ainda de nenhum

Desejo
Um amor imenso
Dos corações de filhos gratos
Por nascerem nos braços
Das melhores mães do mundo!

PS: Dedicado à melhor mãe do mundo!
Mãe: Feliz dia das mães! Te amo!
Mesmo longe, minha gratidão e todo meu amor!

Virvinhas